O novo normal nos hospitais e as cirurgias eletivas

Triagem telefônica antes da ida ao serviço médico, fluxo separado de pacientes com e sem sintomas gripais, temperatura medida na entrada, teste de Covid-19 antes de cirurgias, salas de espera mais vazias e até veto a colares e brincos nos consultórios.


A ANS ordenou que os planos de saúde voltem a prática os prazos pré-estipulado para agendamento de consultas e cirurgias eletivas.A vida está retomando em sistema que estamos denominando de o “novo normal”, o que acredito ser importante, diante da pandemia as pessoas praticamente abandonam seus tratamentos médicos de doenças crônicas ou as eletivas porém não menos importante a vida.


O medo das pessoas de contágio, provocou queda até de 90% do movimento. A previsão da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados) é que as instituições terminem o ano com 30% a menos em caixa, ou R$ 13,1 bilhões –isso se o movimento realmente crescer partir deste mês.


A ANS diz que a decisão de retomar cirurgias eletivas ocorreu após análise criteriosa de documentos das instituições de saúde dando conta que têm condições de atender a essa demanda com segurança e sem prejudicar o atendimento de casos de Covid-19.


Os hospitais criaram fluxos diferentes para pacientes com sintomas respiratórios daqueles com outras queixas, com unidades de recepção e internação separadas. Profissionais que atendem os pacientes suspeitos de Covid não se misturam com os demais.


Dentro do novo normal continuam as negativas de atendimento por parte dos planos de saúde que ainda obrigam seus pacientes terem que recorrer à justiça para ter seus procedimentos cirúrgicos aprovado. O que de “novo normal” não tem nada.
Cordialmente
Adriana Leocádio

Adriana Leocadio
@leocadioadri

Ola, deixe seu comentário para nossa comunidade!