👩‍⚕ Saiba mais sobre a especialidade médica do futuro – Clínica do Amanhã (06/04) SP

🏥 Com a abertura de inúmeras vagas para o curso de medicina, saturação do mercado e necessidade de disruptividade na área da saúde, novas interfaces da prática médica tem emergido no mercado internacional e brasileiro no que tange à especializações médicas.

Algumas áreas hoje consagradas como a terapia intensiva e radiologia intervencionista há poucos anos atrás não eram consideradas especialidades médicas.

Slide2

O que será que está por vir daqui pra frente nesse contexto?

📲 Telemedicina, telessáude e e-saúde são termos que aparecem com frequência na mídia e nas conversas entre profissionais de saúde engajados em inovação, e não há de fato muita diferença conceitual entre eles.

Essas áreas podem ser facilmente definidas como a prestação de serviços de saúde, informação clínica e educação tanto médica quanto em saúde (prevenção e promoção) a distância por meio das tecnologias da telecomunicação.

💰De acordo com estimativas, o mercado global de telessaúde possui uma projeção de aumento a uma taxa anual composta de 30% entre 2017 e 2022, gerando cifras que passam dos 12 bilhões de dólares. Em duas pesquisas de mercado foi evidenciado que 70% dos consumidores estão propensos a consumir serviços de e-health.

Slide7

Promissor!!!

Devido aos grandes avanços na área de cuidados em saúde e com a ampliação do acesso dos pacientes a dispositivos móveis, a telessaúde vem crescendo muito no mundo.

Slide4

☢ Serviços de segunda opinião, departamento de emergência, unidades de terapia intensiva (UTI) virtuais, “telestroke”, telerradiologia e serviços de acompanhamento médico domiciliar tem bombado mundo a fora.

Diante desse cenário, NOCHOMOVITZ propôs em artigo de opinião publicado na revista JAMA em novembro de 2017 a criação do conceito de uma especialidade medica nova, a medicina vitualista. Essa especialidade abrange os profissionais médicos que vão usar a maior parte de seu tempo para o cuidado aos pacientes de forma virtual, usando as ferramentas já expostas. Os pesquisadores sugeriram que haja um consenso profissional acerca das atividades a serem desenvolvidas e que diversas competências terão que ser desenvolvidas nesses profissionais para o correto exercício da especialidade.

NOCHOMOVITZ, Michael; SHARMA, Rahul. Is It Time for a New Medical Specialty?: The Medical Virtualist. JAMA, 2017

 

Não deixe de inscrever-se para o nosso evento Clínica do Amanhã 

Está com dúvidas sobre algum dos itens acima? Gostou do post? Quer sugerir algum tema?

Deixe seus questionamentos e sugestões nos comentários!

Tenha uma excelente semana depois de bastante descanso no feriado!

 

Agora é hard work!!!!

 

Bruno Lima

Health Innova HUB in Training

 

 

 

Sobre Fernando Cembranelli

Médico formado pela UNIFESP, com Residência Médica, em Administracao Hospitalar, pelo Hospital das Clínicas da FMUSP e MBA com foco em Healthcare Management pela Fuqua School of Business (Duke University). Co-fundador do EmpreenderSaúde, Ex-gerente do Centro de Inovacao do HCFMUSP, partner da Live Healthcare Media e CEO do Health Innova HUB (Health Innovation HUB)

Ola, deixe seu comentário para nossa comunidade!