Dr. Carlos Ballarati, co-fundador do I2H, ex-presidente da SBPC,e o desafio de inovar em sa√ļde no Brasil!

Carlos Ballarati ¬†√© m√©dico, especialista em Patologia Cl√≠nica, co-fundador do Instituto para Inova√ß√£o em Sa√ļde (I2H), ex-presidente da SBPC (Soc. Bras. Patologia Cl√≠nica) e diretor-executivo na Consulta do Bem. Sua trajet√≥ria profissional sempre foi marcada por um forte perfil empreendedor e, este ano, ser√° um dos professores do Curso de Empreendedorismo e Inova√ß√£o em Sa√ļde.

  • O que √© o I2H e o que te inspirou em iniciar o projeto?

O I2H √© uma empresa focada em sa√ļde e ci√™ncias da vida, que tem como finalidade fazer liga√ß√£o entre empreendedores (startups), empresas e Investidores; no intuito de ajudar a melhorar o ambiente empreendedor em nosso pa√≠s, estimulando que startups tenham sucesso em sua jornada, investidores consigam investir em neg√≥cios mais estruturados e empresas consigam suprir demandas, √†s vezes, espec√≠ficas de inova√ß√£o.

Ballas.jpeg

O grande diferencial do I2H é que possuímos uma metodologia muito madura e já testada no INEI (Instituto Nacional de Inovação e Empreendedorismo) que se chama QDI ou Questionário de inovação, onde através dele podemos analisar o grau de maturidade das startups, suas virtudes e defeitos de uma forma cientifica e estruturada ajudando a melhorar a empresa.

A inspiração de criar o I2H surgiu durante o evento da Exponencial Medicine da Singularity University em 2016 onde encontrei a Ingrid Paola, presidente do Inei e vimos que precisávamos ajudar a ter no Brasil um ambiente empreendedor com a mesma mentalidade que tem o vale do silício, onde a inovação tem grande chance de prosperar pelo ecossistema acolhedor e maduro que ocorre na região. Acabamos formando uma equipe com mais pessoas (Médico, Engenheiro e Economista)  que aceitaram este desafio.

  • Quais habilidades te ajudaram nessa trajet√≥ria?

Acho que empreender √© um estado de esp√≠rito, empreendedores tem mais toler√Ęncia ao risco e cren√ßa nas suas ideias, mas uma coisa fundamental que percebo √© a experi√™ncia, isto somado ao dinamismo de jovens empreendedores tem se mostrado uma f√≥rmula de muito sucesso

A formação da equipe é fundamental, pois mesmo uma excelente ideia não sobrevive a uma equipe fraca, por isso no ambiente empreendedor, o diálogo e a troca de experiência são enriquecedor e fundamentais.

Ballas

  • O que voc√™ tem presenciado de inovador na Sa√ļde?

Muitas coisas est√£o mudando na sa√ļde e vem com uma velocidade assustadora, Novas tecnologias, nanotecnologias, gen√©tica, Microbiomas, blockchain, acesso ao sistema, intelig√™ncia artificial, big data etc, v√£o impactar de forma profunda a sa√ļde mundial, principalmente com a vis√£o de Health 3.0 onde a preven√ß√£o vem em primeiro lugar. Mas tudo isso acontece por um maior empoderamento do paciente, que passou a ter mais acesso √† informa√ß√£o e gerenciamento de sua sa√ļde, isto permite que a mudan√ßa seja mais sedimentada.

Estamos tamb√©m ¬†conseguindo utilizar melhor os dados gerados e transform√°-los em informa√ß√Ķes o que tem impactado muito em todos os aspectos da medicina e ci√™ncias da vida.

Ballas

 

  • Na sua percep√ß√£o, qual a import√Ęncia do ecossistema de empreendedorismo e inova√ß√£o em sa√ļde?

√Č fundamental termos um ecosistemas maduro e acolhedor. Temos que entender que o empreendedor brasileiro tem o mesmo n√≠vel dos demais, nossa grande defici√™ncia √© que n√£o temos um ecosistemas que seja amig√°vel ao empreendedorismo, como ocorre na Am√©rica do Norte, Europa e alguns pa√≠ses asi√°ticos.

Gastamos muita energia com problemas burocráticos e lutando para a sobrevivência. Por outro lado quando vemos startups brasileiras, com modelos de inovação de sucesso, estas conquistam mercados internacionais de forma consistente.

Iniciativas de mais integração e menos competição entre os vários players que incentivam o empreendedorismo no Brasil poderiam acelerar a transformação deste ecossistema.

  • Como os players podem auxiliar na evolu√ß√£o do ecossistema?

A troca de informação, objetivos comuns que devemos lutar, maior diálogo e troca de experiência, uso de ferramentas comuns, além de eventos mais amplos poderiam incentivar este ecossistemas

Existe espaço e oportunidades para todos mas se adotarmos algumas bandeiras comuns ganharíamos velocidade.

Não precisamos reinventar a roda , vamos tomar como exemplo o Vale do Silício , talvez um dos locais mais competitivos do mundo, mas que possui o melhor ambiente inovador do planeta, fruto de uma mentalidade de que a competição faz parte do jogo mas o mais importante é permitir que ela ocorra, criando e estimulando o ecossistema.

Nem precisa dizer o quanto isto est√° sendo produtivo. Hoje temos o Vale sendo transformador na inova√ß√£o americana e mundial, estimulando v√°rias outras regi√Ķes a possibilitar e estimular o empreendedorismo

Vejo, hoje no Brasil, chance de concretizarmos esta transformação!

O Dr. Carlos Ballarati estar√° conosco no Curso de Empreendedorismo e Inova√ß√£o em Sa√ļde, nos dias 7,8 e 9 de Dezembro. N√£o deixem de participar!

PARTICIPE!

Participe do nosso¬†Curso: Empreendedorismo e Inova√ß√£o em Sa√ļde,¬†que acontecer√° nos dias¬†7,8 e 9 de Dezembro, em S√£o Paulo. O curso¬†t√©orico-pr√°tico¬†incluir√° visitas √† excelentes empreendedores e startups de S√£o Paulo e aulas com alguns dos maiores empreendedores e inovadores em sa√ļde do pa√≠s.

FAÇA PARTE DA TRANSFORMAÇÃO!

faixa-curso-empreendedorismo-saude

Sobre Fernando Cembranelli

M√©dico formado pela UNIFESP, com Resid√™ncia M√©dica, em Administracao Hospitalar, pelo Hospital das Cl√≠nicas da FMUSP e MBA com foco em Healthcare Management pela Fuqua School of Business (Duke University). Co-fundador do EmpreenderSa√ļde, Ex-gerente do Centro de Inovacao do HCFMUSP, partner da Live Healthcare Media e CEO do Health Innova HUB (Health Innovation HUB)

Ola, deixe seu coment√°rio para nossa comunidade!