CORONAV√ćRUS chegou. E o que vem depois ?

Como profissionais de sa√ļde, imposs√≠vel n√£o falar dos efeitos que o novo v√≠rus trouxe para a sa√ļde das pessoas e para os sistemas de sa√ļde de todos os pa√≠ses do mundo e, tamb√©m, em suas economias.

Mas toda crise √© um per√≠odo de reflex√£o e, tamb√©m, de mudan√ßas. Haver√° mudan√ßa do estilo de vida e h√°bitos das pessoas, empresas e pa√≠ses.  Os impactos causados pela doen√ßa ir√£o mudar a l√≥gica atual.

Como se comportar√° a sociedade brasileira ap√≥s esse per√≠odo? Como ser√° o seu perfil de consumo passado a pandemia?  Como ser√° o acesso √† sa√ļde no per√≠odo imediato p√≥s coronav√≠rus? Haver√° demanda reprimida e uma corrida aos servi√ßos de sa√ļde? Haver√° perda de poder aquisitivo e consequente diminui√ß√£o do acesso aos planos de sa√ļde? Como nos prepararemos para outras pandemias que venham acontecer?

A capacidade de se adaptar rapidamente √†s mudan√ßas em curso, readequar os produtos e a forma de habitual de ofertar os servi√ßos, buscar inova√ß√Ķes criativas para a sustentabilidade do neg√≥cio, e implementar respostas para mitigar os riscos ser√° o diferencial para alavancar oportunidades ap√≥s a pandemia.

A hist√≥ria mostra que grandes saltos de crescimento, em diversos setores, incluindo a medicina, foram nos momentos de crise e, o momento atual em que estamos atravessando, isso se confirma: aceleram-se trials/testes e estudos de medica√ß√Ķes e exames; tecnologias que facilitam o acesso mas que, por motivos corporativos, eram adiadas, como a telemedicina, s√£o colocados em pr√°tica; o uso de redes e m√≠dias mais confi√°veis para a busca e compartilhamento de informa√ß√Ķes em sa√ļde s√£o difundidos; Startups criam formas r√°pidas para o desenvolvimento de respiradores; impressoras 3D s√£o acionadas em diferentes partes do pa√≠s e do mundo para a produ√ß√£o de m√°scaras para profissionais de sa√ļde; o Home Office nos mostra que, sim, √© poss√≠vel ser produtivo com menor deslocamento; assim como a import√Ęncia de termos profissionais de sa√ļde treinados e valorizados para a manuten√ß√£o de um sistema de sa√ļde eficaz.

A globaliza√ß√£o facilita a difus√£o das doen√ßas mas, ao mesmo tempo, facilita a troca de conhecimentos e informa√ß√Ķes.

Mudar o mindset e o modelo de gest√£o usualmente ancorado em planejamento, comando e controle – funcional para ambientes est√°veis, por√©m ineficaz em contextos que demandam a√ß√Ķes r√°pidas e din√Ęmicas, como o que estamos enfrentando atualmente com a pandemia ‚Äď ser√£o alguns dos legados da pandemia. Implementar a√ß√Ķes inovadoras e oportunas poder√£o significar a vida ou a morte de pessoas, empresas e das institui√ß√Ķes de sa√ļde.

A sensa√ß√£o de impot√™ncia perante a crise tamb√©m pode ser uma oportunidade para uma revis√£o do modelo de assist√™ncia √† sa√ļde no Brasil e no mundo.

Talvez, um pequeno v√≠rus revele a real ess√™ncia do prop√≥sito do cuidado √† sa√ļde das popula√ß√Ķes e como devemos reorganizar nossas a√ß√Ķes. Temos que usar esse momento para j√° estruturar o que vir√° em poucos meses.

Por Martha Oliveira

Diretora Executiva Designing Sa√ļde

Ola, deixe seu coment√°rio para nossa comunidade!