Camelos ou Unicórnios?

Startups chamadas de unic√≥rnio s√£o aquelas com aportes superiores a U$ 1 bilh√£o, com r√°pido crescimento. Por outro lado, s√£o poucas, suscet√≠veis a choques econ√īmicos severos e imprevis√≠veis. Os unic√≥rnios fazem parte dos contos de fada. E os camelos?

Camelos atravessam o deserto, existem em grande quantidade, sobrevivem √†¬†longos per√≠odos sem se alimentar, suportam altas temperaturas e se adaptam a diferentes climas e regi√Ķes.

Diversos empreendedores têm fugido das grandes rodadas de investimentos e do crescimento mágico. Têm buscado ser camelos, como as empresas certificadas pelo Sistema B, que aliam causa e propósito ao lucro, como forma de resolver problemas da sociedade de forma perene.

Alinhar prop√≥sito n√£o √© coisa de¬†millenials. Desde o s√©culo passado, autores dos consagrados livros ‚ÄúComo Fazer Amigos & Influenciar Pessoas‚ÄĚ e a ‚ÄúLei do Triunfo‚ÄĚ, j√° tratavam disso.

Na Fleximedical somos camelos. Com muita cautela desenvolvemos um modelo de neg√≥cio social para democratizar o acesso √† sa√ļde, por meio da cria√ß√£o de unidades m√≥veis.

S√£o carretas, cont√™ineres, √īnibus e vans customizadas por arquitetos especializados que criam verdadeiros¬†transformers¬†da sa√ļde. Como no filme,¬†mas ao inv√©s de carros e caminh√Ķes rob√īs que enfrentam amea√ßas na fic√ß√£o cient√≠fica, os ve√≠culos se transformam em cl√≠nicas sobre rodas para atendimento, com exames, consultas e cirurgias.

Durante a crise do coronavírus essas unidades têm sido criadas e implantadas rapidamente para aumentar a quantidade de leitos, triar e testar pacientes com o coronavírus, além de servirem como salas de exames de tomografia nos hospitais de campanha para o diagnóstico de Covid-19.

Mais de 40 mil pacientes usaram essas estruturas. Mesmo antes da pandemia, mais de 2 milh√Ķes de pessoas foram atendidas nessas unidades. No SUS e na sa√ļde privada. O paciente n√£o vai at√© a cl√≠nica. A cl√≠nica vai at√© o paciente, seja em √°reas urbanas, rurais ou ribeirinhas.

Ecossistema de Negócios Sociais
Mas n√£o √© s√≥ a sa√ļde que se beneficia desse modelo de neg√≥cio. Casas s√£o reformadas em comunidades com a Vivenda que, assim como n√≥s, da Fleximedical, tamb√©m faz parte da Rede de Empreendedores Sociais, da Folha de S√£o Paulo. A ind√ļstria cosm√©tica n√£o fica de fora, empresas como a Natura s√£o certificadas tamb√©m como empresa B. Passam por uma avalia√ß√£o de governan√ßa, sustentabilidade e impacto socioambiental. S√£o alinhadas com o atual conceito de ESG, mesmo antes de ele ter ficado t√£o popular.

N√£o somos as melhores empresas do mundo, mas as melhores empresas para o mundo! Assumimos esse compromisso p√ļblico.

Mudar o dia das pessoas para melhor pode estar no campo jur√≠dico, da moda, do luxo e at√© em ag√™ncias de comunica√ß√£o, como a de Leopoldo Jereissati. Ele diz que “talvez precisemos passar por certas situa√ß√Ķes para perceber que aquilo n√£o era o melhor para n√≥s”.

Assim como Leopoldo, fazemos parte das empresas Certificadas como B Corp.  Quando ouvir a marcha da batida de cascos no chão, não pense em unicórnios, pense em camelos!

artigo originalmente publicado na Folha de S√£o Paulo

* por Ricardo Lauricella, gestor executivo e consultor em empreendimentos sociais há mais de 15 anos, hoje à frente da diretoria de desenvolvimento institucional da Fleximedical e Iseli Yoshimoto Reis, fundadora e CEO da Fleximedical, reconhecida pela edição especial do Prêmio Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19.

1 Resposta

Ola, deixe seu coment√°rio para nossa comunidade!