AO VIVO: Gustavo Oliveira, CEO da startup Dr. Já, que traz mais ACESSO e TRANSPARÊNCIA à saúde! (05/06, 18:00)

Neste AO VIVO, vamos falar com Gustavo Oliveira, CEO do Dr. Já, sobre a necessdade de maior ACESSO e TRANSPARÊNCIA na saúde e como sua startup, Dr. Já, está enfrentando estes desafios. (2f, 05/06, 18 hs)

Doutor Já

Foto: Gustavo Oliveira (de amarelo) e time do Dr. Já

Assista o AO VIVO:

Atenciosamente,

Fernando Cembranelli

CEO Berrini Ventures/Health Innova HUB

fernando@hihub.co

Sobre Fernando Cembranelli

CEO e Founder do Health Innova HUB, Ecossistema Digital de Inovao em Sade. Mdico formado pela UNIFESP, com Residncia Mdica, em Administrao Hospitalar, pelo Hospital das Clnicas da Faculdade de Medicina da USP e MBA com foco em Healthcare Management pela Duke University Foi Co-fundador do EmpreenderSade, Gerente do Centro de Inovacao do Hospital das Clnicas da Faculdade de Medicina da USP e Partner da Live Healthcare (Portal Sade Business, Sade Business Frum e Healthcare Innovation Show).

3 Respostas

  1. A divulgação de valores de honorários médicos está amparado por 3 dispositivos legais: Decreto-Lei nº 4113 de 14 de Fevereiro de 1942 (lei que regulamenta publicidade de médicos e dentistas – veja parágrafo segundo do Art 1 º), da Lei Nº 8.078 (código de defesa do consumidor – Artigo 31), de 11 de setembro de 1990 e do Decreto nº 2.181 de 20 de março de 1997 (Artigo 13 – alinea I). Portanto, o próprio código de ética médica, cujo preâmbulo traz a informação de que “este código” sujeita-se à Constituição Federal e à Legislação vigente, não representa postura legal à medida que considera prática anti-ética a divulgação de valores de honorários.

  2. http://www.portalmedico.org.br/notasdespachos/CFM/2015/262_2015.pdf Leia página 02 – ” lastro na jurisprudência do STJ, REsp
    8490 / RJ:
    MANDADO DE SEGURANÇA. RESOLUÇÃO Nº 19/87, DO CONSELHO REGIONAL DE
    MEDICINA DO RIO DE JANEIRO.
    O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro tem competência para baixar
    resoluções a respeito da profissão de médico; não pode, todavia, a pretexto disso,
    legislar acerca das relações entre médicos e empresas que têm como objeto social a
    prestação ou a garantia de serviços médicos. Recurso especial conhecido e provido, em
    parte. (grifou-se)
    Assim, pode o Conselho Federal de Medicina baixar resoluções para limitar a
    atuação do médico, desde que fundamentado em questões técnicas…”

Ola, deixe seu comentário para nossa comunidade!